Princípios gerais da biogeografia

Introdução

A biogeografia, assim como em vários ramos da ciência, procura utilizar-se de explicações de outros campos de estudo, tais como:  

  • Ecologia
  • Biologia
  • Geografia física
  • Geologia
  • Climatologia
  • Pedologia
  • Botânica
  • Zoologia
  • Genética, etc.

Seu campo de estudo centraliza-se na biosfera: litosfera, atmosfera e hidrosfera, na parte onde há vida biológica.

Definições de biogeografia

De Martonne (1927) afirma que a Biogeografia estuda a distribuição dos seres vivos terrestres e as causas que a condicionam. Esta área é subdividida em geografia botânica (fitogeografia) e geografia animal (zoogeografia).

Para Furon (1961) a biogeografia é a ciência que estuda a distribuição dos seres vivos na superfície dos continentes e no interior dos oceanos. De acordo com este autor a biogeografia pode ser dividida em três ramos: Biogeografia estatística, histórica e dinâmica.

Para Watts (1971) a biogeografia procura estabelecer padrões de ordem, na busca pelos mecanismos que contribuem para a organização e distribuição das plantas e animais.

De acordo com Elhai (1968) a Biogeografia estuda os organismos vivos, as plantas e os animais na superfície do globo.

Segundo Dansereau (1949) a Biogeografia é a ciência que estuda a distribuição, a adaptação, a expansão e a associação das plantas e dos animais. 

Para dar conta de estudar estes aspectos, no tempo e no espaço, o estudo dos seres vivos precisa levar em conta os níveis de integração da biogeografia.

Diferentes níveis de integração da biogeografia

Os níveis de integração da biogeografia são: paleontológico, paleo-ecológico, aerográfico, bioclimatológico, auto-ecológico, sinecológico, sociológico e industrial.

Paleontológico

Início, desenvolvimento e desaparecimento das plantas e animais.

O estudo deste tópico envolve conceitos que vão desde a origem e evolução dos grupos através dos tempos geológicos, separação dos continentes, transgressões marinhas e evolução da vegetação

Paleo-ecológico

Trata da evolução das espécies, mudanças geográficas do clima e da vegetação.

A Paleoecologia procura investigar os efeitos das glaciações, como destruição, restrição, isolamento e endemismo das espécies. O clima glacial, as flutuações e relíquias post-glaciais.

Aerográfico

Contribui para o estudo da distribuição das espécies de plantas e animais.

A distribuição das espécies de plantas e animais é estudado a partir das descontinuidades e as relações que as criam. Além disso, investiga-se as áreas que não sofreram e as que sofreram interferência humana.

Os estudos aerográficos necessitam do entendimento dos seguintes conceitos:

  1. Cosmopolitismo ou endemismo das espécies;
  2. Vicariância (as espécies são relacionadas entre si, mas apresentam distribuição geográfica descontínua);
  3. Epibiotismo (as condições favoráveis a determinada planta e animal);
  4. Continuidade (plantas e animais que se distribuem sem intervalos);
  5. Descontinuidade.

Bioclimatológico

Estuda os fatores climatológicos responsáveis pela atual limitação.

Busca-se saber primeiramente os princípios da classificação dos climas: fatores e elementos. O comportamento das espécies de acordo com as características das grandes zonas climáticas: a zona quente (equatorial, tropical e subtropical), e zona temperada.

Auto-ecológico

Estuda o ser vivo individualizado, envolvendo suas principais características.

Neste nível de integração, busca compreender as condições de adaptação do indivíduo, a área ou habitat em que vivem, fatores químicos, físicos e biológicos.  

Sinecológico

Estuda o meio e os motivos do equilíbrio existente. A sinecologia procura estudar todos os organismos presentes num determinado habitat.

Sociológico

Estuda como as espécies de associam entre si. Neste caso, há a necessidade de grande conhecimento sobre biologia e taxonomia.  

Industrial

Pesquisa a adaptação do homem ao meio.  Este nível considera que o homem tem o poder suficiente de mudar o meio com maior intensidade e em maior extensão. As mudanças decorrem desde as sociedades primitivas, além das seguintes atividades: migrações, colonização, indústria, exploração florestal.

Deste modo, o objeto de estudo da Biogeografia são os seres vivos, seus processos de multiplicação e dispersão.

Contribua conosco enviando informações sobre o tema ou comentando algum fato interessante sobre o texto na caixinha de comentários. 

Referências consultadas

ELHAI, H. Biogéographie. Paris: Armand Colin, Col. U. 1968. 401 p.

FURON, R. La Distribuición de los Seres. Trad. R.Brito. Buenos Aires-Barcelona, Nueva Col. Labor, 1961, 163 p.

MARTONNE, D. de Traité de Géographie Physique. T.III; Biogéographie, par Chevalier, A.; et Guenot L. Paris: Masson et Cie, 1927. 358 p.

Watts, D. Principles of Biogeograph. New York: Mc Graw-Hill Book Company 1971. 401 p.

DANSEREAU, P. Introdução à Biogeografia. Revista Brasileira de Geografia, XI (1): 1-85, 1949.   

SANTOS, Maria Juraci Zani dos Santos. Introdução à Biogeografia. Bol. De Geografia – UEM – Ano 3 – n°3 – Jan., 1985.

Escolha a opção mais adequada para citar este texto.

Blog da Geografia (12 de agosto de 2022) Princípios gerais da biogeografia. Retrieved from https://blogdageografia.com/principios-gerais-da-biogeografia/.
"Princípios gerais da biogeografia." Blog da Geografia - 12 de agosto de 2022, https://blogdageografia.com/principios-gerais-da-biogeografia/
Blog da Geografia 13 de maio de 2022 Princípios gerais da biogeografia., viewed 12 de agosto de 2022,<https://blogdageografia.com/principios-gerais-da-biogeografia/>
Blog da Geografia - Princípios gerais da biogeografia. [Internet]. [Accessed 12 de agosto de 2022]. Available from: https://blogdageografia.com/principios-gerais-da-biogeografia/
"Princípios gerais da biogeografia." Blog da Geografia - Accessed 12 de agosto de 2022. https://blogdageografia.com/principios-gerais-da-biogeografia/
"Princípios gerais da biogeografia." Blog da Geografia [Online]. Available: https://blogdageografia.com/principios-gerais-da-biogeografia/. [Accessed: 12 de agosto de 2022]

Deixe uma resposta