O que é Ancap?

Junto com a ideia neo e ultraliberal surge uma classe chamada de Ancap, abreviatura da palavra Anarcocapitalista.

Indivíduos que se declaram “libertários” e anarcocapitalistas é um fenômeno crescente no Brasil, e que tem ganhado força a partir de 2015 com o caos político derivado de escândalos de corrupção e com as sucessivas crises econômicas.  

Os Anarcocapitalistas brasileiros possuem algumas bandeiras que o ajudam a se diferenciar dos anarquistas, capitalistas, socialistas e comunistas, veja alguns exemplos:

  • Desregulamentação do mercado de trabalho para que os empregadores e empregados possam combinar livremente o salário, a carga horária e as condições de trabalho;
  • Independência das pessoas dos bancos públicos e privados a partir da utilização de criptomoedas;
  • Desregulamentação do ensino obrigatório e adoção do homeschooling.
  • Negação de avanços científicos históricos, tais como a criação de vacinas contra doenças e a relação do aquecimento global com as diferentes formas de uso e ocupação da terra.

É possível observar que os Ancaps não se limitam a teses meramente econômicas. Armamento covil, homeschooling, inovação, empreendedorismo, direito e filosofia são temas comuns nas ideias ultraliberais e anarcocapitalistas.

O crescimento dos Ancaps

Uma das teses do crescimento do número de Ancaps são as possibilidades de comunicação que surgiu com a internet.

Além disso, destaca-se que a própria internet é um exemplo de comunidade libertária, onde se prega uma liberdade de negócio e comunicação eficiente entre as pessoas, o exemplo mais comum são os aplicativos como Uber, Mercado Livre e as Fintechs em geral.  

Atualmente, o indivíduo deixou de ser um mero consumidor passivo dos meios de comunicação e passou a distribuir e produzir seus próprios conteúdos, que muitas vezes possui um poder de alcance muito maior caso fosse utilizado a mídia tradicional.  Isso está possibilitando um rápido e constante crescimento dos adeptos das ideias Ancaps.

Os Ancaps estão tomando uma proporção tão grande que estão começando até mesmo a ter símbolos vendidos por grandes varejos online, canais de comunicação com milhões de inscritos e séries de animação exclusivos para este público.

A bandeira abaixo é um dos símbolos dos Anarcocapitalistas, encontrada facilmente em redes de varejo online.  

Bandeira Anarcocapitalista

Qual a diferença entre os Anarquistas e os Anarcocapitalistas?

Comparar Anarquista com Anarcocapitalista é um grande erro, pois enquanto dentro da tradição libertária os anarquistas e primeiros intelectuais libertários defendiam a emancipação dos trabalhadores, os Ancaps defendem a emancipação do capital e dos capitalistas [1,2,3].

Além de serem contra a exploração dos trabalhadores pelos capitalistas, também eram contra o monopólio dos capitalistas que utilizam o Estado para enriquecer ainda mais. Neste caso, observa-se aí uma crítica à concentração de riqueza nas mãos de poucos e sua tendência natural de formação de cartéis e monopólios.

Por outro lado, não é comum observar posts Ancaps em redes sociais e matérias em jornais defendendo a não taxação de riqueza, dizendo que isso diminuiria os empregos, e defendendo a extinção do Estado por meio das privatizações.

Ora, isso é tirar o monopólio do Estado e entregar para a iniciativa privada, que não possui qualquer compromisso em diminuir a concentração de renda.

Esse é o ponto central da luta dos Ancaps brasileiros, ou seja, privatizar os serviços públicos, ao invés de lutar pela emancipação das pessoas de qualquer tipo de monopólio.

Na imagem abaixo, extraído de uma página Ancap em uma rede social, é possível observar uma frase ironizando a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), onde atribui-se o desemprego à existência de leis que protegem o trabalhador.

Meme Ancap. Imagem de internet.

Porém, esquece-se que o Brasil já passou por uma profunda reforma trabalhista que precarizou o trabalho sob a ideia de que seriam criados milhões de empregos.

O bitcoin e o desejo Ancap de serem independente dos bancos

A criação do bitcoin e as tecnologias associadas, tais como a blockchain, tem alimentado o ideário libertário de independência financeira de bancos centrais e bancos privados.

A criação do bitcoin e diversas outras criptomoedas tem permitido aos Ancaps defenderem a independência dos bancos centrais, sob a alegação de as criptomoedas serem moedas de uso livre, e por isso, não podem ser controladas por governos.

Embora a criação da bitcoin tenha permitido a criação de uma outra tecnologia importante e passível de ser utilizada para o benefício da sociedade, esquece-se que grande parte das criptomoedas, incluindo o Bitcoin, estão nas mãos de poucas pessoas, às chamadas baleias, que possuem um alto poder de manipulação do preço da moeda. 

Homeschooling: mais uma bandeira Ancap e ultraliberal

O Homeschooling, ou ensino domiciliar, surgiu, enquanto processo de ensino, a partir da década de 1970.

Acredita-se que esta modalidade de ensino foi impulsionada nos EUA a partir de religiosos protestantes, que descontentes com o ensino tradicional e preocupados em preservar suas crenças começaram a lecionar em casa.

No Brasil, a ideia do ensino domiciliar encontra-se em discussão no STF, e se constitui em uma pauta prioritária para os Ancaps e ultraliberais, que acreditam que o sistema de ensino está ultrapassado e que não ensina coisas importantes para as pessoas.

O homeschooling talvez seja uma das ideias neoliberais e ultraliberais mais Ancaps dos últimos anos 

Tendo isso em vista, o libertário reprova qualquer ameaça a soberania familiar da mesma forma que rejeita terceirização das responsabilidades sobre seus membros, a exemplos da aposentadoria dos mais velhos e a educação dos mais novos.

Tal posicionamento não é exclusivo deste público, e levou muitas famílias a travarem batalhas contra a obrigatoriedade da educação estatal ao longo de vários séculos.

Escolha a opção mais adequada para citar este texto.

[citationic]

Referências consultadas

[1] COSTA, Caio Túlio. O que é anarquismo. São Paulo: Brasiliense, 2004.

[2] ROTHBARD, Murray. Os libertários são anarquistas? 2008.

[3] DAL PAI, Raphael Almeida. A teoria “anarco”capitalista segundo artigos pulicados no site do Instituto Ludwig von Mises Brasil (IMB) e a noção “libertária” de anarquismo. Temporalidades – Revista de História, ISSN 1984-6150, Edição 27, V. 10, N. 1 (mai/ago. 2018)

2 comentários

  1. Primeiramente, não há um consenso a praticamente a nada no Ancap. Pois o Ancap é um modelo que prega que o modelo tem que ser construído pelos indivíduos. É uma base, um papel em branco, que seria possível cada um propor o seu modelo. Inclusive, é possível instaurar uma sociedade comunista (desde pulem a parte ds revolução violenta) no meio de uma sociedade anarcocapitalista. Eu conheço diversos Ancaps que acreditam nas vacinas, nos avanços científicos e etc. É a mesma coisa que dizer que é possível distinguir um comunista em base na pouca ou nenhuma quantidade de artigos científicos que lê, pois não sabe inglês e não tem acesso a internet para a maioria dos artigos sérios. Óbvio que existem diversas pessoas de esquerda que são muito inteligentes, mas ainda não deixa de ter essa parcela.

    O que na grande maioria somos contra, é no mal uso da ciência para usos políticos. O genocídio contra os povos negros, teve base científica e foi apoiada pelo estado. O nazismo e outras teorias racistas também teve base “científica”, também foi apoiado pelo estado. Isso não deixa de serem teorias que foram comprovadas como erradas e um grande absurdo em todos os sentidos. Mas para a ciência da época, fazia sentido. A ciência foi criada para ser questionada, quanto mais pessoas questionam melhor. Apenas não apoio o uso da ciência como um novo dogma a ser seguido cegamente, como foi a religião.

Deixe uma resposta