Enquanto o governo brasileiro tenta, por meio de projetos de leis e propagandas televisivas, fazer com que as compras governamentais passem a priorizar os produtos estrangeiros em detrimento dos produtos nacionais, o atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tenta emplacar um grande programa de manutenção de empregos industriais e exportação de produtos americanos. Trata-se de um programa chamado Buy América.

Síntese do programa Buy América

Joe Biden mobilizará o talento, a coragem e a inovação do povo americano e todo o poder do governo federal para reforçar a força industrial e tecnológica americana e garantir que o futuro seja “feito em toda a América” por todos os trabalhadores da América. Biden acredita que os trabalhadores americanos podem superar qualquer problema.

Biden não aceita a visão derrotista de que as forças da automação e da globalização nos tornam impotentes para manter empregos sindicais bem pagos e criar mais deles aqui na América. Ele não acredita por um segundo que a vitalidade da fabricação dos EUA é coisa do passado. A manufatura dos EUA foi o Arsenal da Democracia na Segunda Guerra Mundial e deve fazer parte do Arsenal da Prosperidade Americana hoje, ajudando a alimentar uma recuperação econômica para as famílias trabalhadoras [1]

Este é considerado um grande programa de compras governamentais das indústrias americanas para movimentar a economia interna e gerar mais empresas industriais que pagam bons salários. Isso tudo irá garantir a proteção dos empregos industriais nos Estados Unidos.

Estas ações permitem afirmar que os Estados Unidos, pelo menos na gestão do governo Biden, se tornará ainda mais protecionista e menos liberal, para o desespero do governo brasileiro que prega uma política de diminuição extrema da participação do Estado na economia.

O Buy América e a crise financeira de 1929

Os programas governamentais americanos de compras públicas tiveram suas primeiras implementações por volta de 1929. Com a crise financeira, o programa tinha como objetivo comprar produtos de empresas norte-americanas para movimentar a economia, criar empregos e promover o crescimento econômico.

Com a crise ocasionada pela COVID-19 e o aumento da influencia chinesa na exportação de bens industriais, este programa caiu como uma luva para tentar recuperar o chamado Sonho americano, com o retorno dos bons empregos e da riqueza promovida pela indústria. É importante afirma que os EUA ainda possuem uma indústria muito forte, porém se este programa der certo, certamente fará da indústria americana mais forte ainda.

Quais os impactos da implementação do programa Buy América para o Brasil?

Com a preferência pela tecnologia e produtos nacionais, certamente os EUA deixarão de importar de outros países. Isso vai impactar principalmente na importação de produtos manufaturados do Brasil, podendo reduzir ainda mais a participação da nossa indústria no cenário mundial. Destaca-se que os produtos manufaturados são aqueles produzidos em larga escala, em série e geralmente de forma padronizada.

Com isso, se o governo brasileiro optar por dar preferência a empresas estrangeiras no fornecimento de produtos industriais, iremos reduzir ainda mais a quantidade de empresas nacionais capazes de fornecer bens indústrias para o povo brasileiro, e consequentemente reduzir a quantidade de empregos de boa qualidade disponíveis no país.

Referência

[1] The Biden Plan to Ensure the Future is “Made in All of America” by All of America’s Workers | Joe Biden for President: Official Campaign Website

Deixe uma resposta