Home Office em tempos de pandemia
Foto por Ken Tomita

Que estamos passando por uma pandemia, isso não é novidade. Porém, cabe destacar que a grande maioria dos empregados estão desenvolvendo algum tipo de trabalho por meio do Home Office. Destaca-se o trabalho dos professores que procuram por meio de ferramentas tecnológicas ensinar conteúdos que muitas vezes são melhor ensinados no modo presencial.

Mesmo diante de tantos problemas, existem aquelas pessoas que encontraram no Home office uma nova forma de trabalhar, empreender e ganhar uma renda para a sua sobrevivência. Para tentar compreender o conceito de Home Office e como este pode impactar em nossas vidas, que nasceu a necessidade de discutir este tema de modo aberto e construtivo.

Esperamos que o conteúdo deste post possa ajudar você na realização de seus trabalhos acadêmicos ou escolares, em disciplinas na área de negócios, administração, geografia econômica, entre outros.

As inovações tecnológicas pelas quais o mundo tem passado nas últimas décadas está mudando a forma como as pessoas trabalham, criam empresas e/ou ganham seus rendimentos. Os processos de comunicação entre as pessoas e as empresas também estão migrando para o campo virtual. O modo de comprar, de fazer negócios ou até mesmo de empreender nos dias atuais é regido pelo nível tecnológico e de infraestrutura que um determinado lugar possui.

Em tempos de pandemia, a velocidade com que as comunicações se virtualizam tendem a ser maior do que em períodos normais, principalmente nos lugares onde a tecnologia e as comunicações se dão de forma mais fluida. Em momentos como este, o desafio para as empresas é muito maior, pois terão que repensar suas estratégias e formas de se conectar com o mundo. Aqueles que desejam empreender também passam pela necessidade de se adaptar, onde deverão adotar novas e melhores formas de se conectar com o cliente ou oferecer um produto.

O Home Office tem sido uma tendência no mundo, que se intensifica em períodos de pandemia ou de graves acontecimentos que limitam o transito de pessoas. Esta modalidade de trabalho é uma tendência que tende a se intensificar na medida em que as tecnologias da informação e comunicação (TIC) avançam, chegando em mais residências e alcançando uma quantidade maior de pessoas.

Definições importantes

O Home Office é uma tendência anunciada desde o final do século XX. Bleyer (1999) já estacava que o home office era consequência, principalmente, dos processos de globalização da economia, da revolução tecnológica e de uma nova consciência individual de tentar driblar as dificuldades cada vez mais crescente de oferta de trabalho.

O Home Office, que neste artigo é caracterizado como um teletrabalho, teve o seu surgimento em meados do século XX nos Estados Unidos, quando tecnologias e equipamentos eletrônicos como o computador e a internet se popularizaram. É importante destacar que este modelo de trabalho possui como características principais a sua flexibilidade de tempo, espaço e comunicação (PALMEIRA; TENÓRIO, 2002 apud SILVA, 2017). Neste sentido, esta modalidade de trabalho é caracterizada como um dos avanços originados da internet e também uma questão sócio organizacional das empresas e dos modelos de trabalhos.

É importante destacar que o Home Office ou teletrabalho não significa, necessariamente um trabalho desenvolvido em domicílio ou na casa do empreendedor, pois este pode ser desenvolvido em escritórios descentralizados e distantes da sede principal de uma empresa. Uma das consequências desta prática foi o surgimento dos chamados Coworking, que são espaços privados compartilhados por empresas e empreendedores de diversos ramos da economia. Por tanto, o que caracteriza este tipo de trabalho é a sua distância da sede principal ou do cliente que está adquirindo os serviços do trabalhador.

De acordo com Gatti (2018 p.191) o Home Office é uma modalidade de Teletrabalho que significa escritório em casa, ou seja, o profissional exerce seu trabalho na sua própria casa de forma periódica ou constante, usando ferramentas tecnológicas como internet, notebook e Tablets. Para Oliveira (2020) a Home Office é uma modalidade de trabalho desenvolvida em local fixo, e que por tanto, pode ser desenvolvida em qualquer lugar. Trata-se de uma modalidade de trabalho que existe a bastante tempo e que tem sido principalmente comum nas empresas multinacionais.

O Home Office é uma modalidade que pode conferir liberdade e autonomia para quem deseja empreender em vários ramos da economia, principalmente aqueles que envolvem a captação de clientes, oferecimento e venda de serviços e produtos por meio da internet.

Porém um desafio para todos que desejam empreender e trabalhar em sua residência é ter um capital financeiro capaz de garantir o sustento próprio por um médio e longo prazo ou até que o negócio consiga gerar receitas o suficiente para o sustento do empreendedor, pois a maioria dos negócios criados por meio do Home Office requer um certo tempo para que o investimento feito consiga fornecer os resultados esperados.

As dificuldades para empreender em períodos de Pandemia

Além das empresas, os empreendedores, principalmente aqueles que pretendem empreender por meio do Home Office, precisam estar cientes de que precisaram saber se posicionar na internet. Trata-se de além de criar um produto ou serviço, se certificar que os consumidores finais irão adquirir e se beneficiar deste produto. Para que isso ocorra, o empreendedor deverá estar preparado para se adequar as tecnologias e ferramentas necessárias.

Como montar um estúdio em casa para transmissão ao vivo

Diante da pandemia do COVID-19 e da obrigatoriedade de distanciamento social adotado em várias cidades ao redor do mundo, se faz necessário levantar algumas questões sobre quais são os tipos de trabalho que podem ser realizados em casa, quanto uma pessoa pode chegar a ganhar trabalhando em casa e quais as condições necessárias para que uma pessoa possa empreender a partir do Home Office. Entendendo quais as áreas são mais propicias para o Home Office é possível apontar subáreas onde as pessoas podem empreender.

Em uma pesquisa realizada nos Estados Unidos Dingel e Neiman (2020) concluíram que cerca de 37% dos empregos nos EUA podem ser realizados de maneira plausível em casa. Estes autores utilizaram uma série de parâmetros, tais como: dificuldade em realizar o trabalho, natureza do trabalho, entre outros. Também concluíram que as pessoas que trabalham em Home Office geralmente ganham mais.

Em relação ao caso brasileiro, é preciso primeiramente entender como funciona a questão trabalhista. A Lei nª 13.467, de 13 de julho de 2017 que dispõem sobre algumas mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) define o termo Home Office como “a prestação de serviços preponderantemente fora das dependências do empregador, com a utilização de tecnologias da informação e comunicação, não se constituindo como trabalho externo.

Muitos empreendedores são classificados como um empreendedor social, que são aqueles trabalhadores que buscam soluções para um bem comum e que estão preocupados em resolver os problemas causados pela ausência do estado, tendo como exemplo o desemprego. De certa forma, a grande maioria dos empreendedores buscam soluções que possam ajudar a vida das pessoas e ao mesmo tempo mudar as condições financeiras e de bem-estar de quem está empreendendo.

Um empreendedor deve ter uma atitude responsável por construir ambientes que estimulem à aprendizagem ativa, à autonomia e as práticas de partilhas de conhecimentos e experiências por meio de iniciativas que contribuam para o crescimento pessoal e financeiro das pessoas. Deve ser antes de tudo, criativo, responsável, ser determinado, perseverante e sempre está em busca de ideias e produtos inovadores. Não necessariamente precisa criar um produto totalmente novo. Melhorar um determinado produto ou serviço também é considerado uma forma de empreender e inovar.

A pandemia do coronavírus fez com que muitos empreendedores, principalmente aqueles que não tinham afinidade com as tecnologias, tivessem que repensar a forma como conduziam os seus negócios. Para manter os negócios ativos estes empreendedores tiveram que migrar para o comércio eletrônico e outros serviços que dependem da internet para serem feitos. Neste sentido, não só as pessoas que já empreendiam como também os novos empreendedores estão utilizando os benefícios da internet para criar novos negócios e vender seus produtos através do Home Office.

Do ponto de vista empresarial as organizações ainda precisam se preparar para enfrentar um período de recessão pós Covid-19 e para enfrentar condições de negócios adversas após a pandemia. Esta orientação ocorre justamente pela possibilidade da empresa não recuperar a curto e médio prazo o capital perdido durante a pandemia, o que pode causar fortes pressões na liquidez e no capital de giro da empresa.

A situação vivida pelas empresas pode ser exemplo para os novos empreendedores, na medida em que devem garantir que tenham capital de giro suficientes para enfrentarem um possível período de recessão da economia nos próximos anos.

Realidade brasileira

No Brasil o empreendedorismo é basicamente caracterizado por duas realidades distintas: um aumento da atividade empreendedora em tempos de crise, o que se observa atualmente no cenário econômico brasileiro, e aumento em épocas onde a economia está em franco crescimento.

Há uma série de trabalhos que podem ser feitos em casa. Dependendo do lugar, da disponibilidade de internet, computador e do nível de conhecimento é possível que um empreendedor consiga criar um negócio e viver dos rendimentos auferidos deste negócio. Os trabalhos mais propícios para inovar e empreender por meio do Home Office são os trabalhos que envolvem a tecnologia da informação, marketing, serviços educacionais e serviços técnicos, pois estes trabalhos podem ser feitos através da internet.

Enquanto a ciência não descobre uma vacina capaz de frear a pandemia que está em curso, emergem diariamente novas e ideias e comportamento que utilizam as tecnologias disponíveis para gerar novos cenários econômicos por meio do Home Office. Cabe lembrar que os desafios de trabalhar de forma remota atingem não somente o pequeno empreender, com também grandes empresas e governos.

Verifica-se que o comercio eletrônico tem sido uma das principais ferramentas utilizadas pelas médias e grandes empresas. É também no comercio eletrônico que muitos empreendedores conseguem se posicionar de forma eficaz, oferecendo produtos inovadores de uma forma criativa para seus clientes.

A adaptação diante das dificuldades, principalmente devido aos problemas pelas quais o mercado e as pessoas estão passando, requer que os empreendedores sejam criativos, corajosos, resilientes e estratégicos para se manterem e manterem seus negócios diante do atual cenário.

Referências consultadas

BLEYER, Lisiane Kater. Home-office: uma nova tendência na Administração. Revista de Ciências da Administração, v. 1, n. 2, p. 97, 1999.

DINGEL, Jonathan I.; NEIMAN, Brent. How many jobs can be done at home? National Bureau of Economic Research, 2020.

GATTI, Daniele Pala et al. Home Office: vantagens, desvantagens e desafios para empresas e funcionários. Revista de Administração do UNIFATEA, v. 16, n. 16, 2018.

OLIVEIRA, José Nilmar Alves de; ORRILLO, Jaime; GAMBOA, Franklin. The Home Office in Times of COVID-19 Pandemic and its impact in the Labor Supply. arXiv preprint arXiv:2007.02935, 2020.

SILVA, Rogério Ramalho da. HOME-OFFICER: um surgimento bem-sucedido da profissão pós-fordista, uma alternativa positiva para os centros urbanos. Revista Brasileira de Gestão Urbana, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 85-94, set. 2017.

Deixe uma resposta