Entre as fronteiras do Egito e do Sudão, há uma pequena faixa de terra que é uma das últimas terras não reclamadas no mundo por um país legitimamente constituído.

Este pedaço de terra trapezoidal de 2.060 quilômetros quadrados, se encontra em uma das regiões mais isoladas do norte da África. Este território é constituído em sua grande maioria de areia e rocha. Não possui estrada, habitantes e nem recursos naturais que possam ser usados economicamente.

O que torna esta área tão desvalorizada é sua falta de recursos naturais, não podendo contribuir para a economia de nenhum dos dois países.

Ao lado de Bir Tawil há outro triangulo de terra maior chamada HALA’IB, que também é constituído de areia e rocha, porém é uma área banhada pelo mar vermelho e que por isso, se torna mais valiosa.

Atualmente tanto Egito quanto o Sudão disputam a soberania de Hala’ib, mas pela maneira como a fronteira foi criada entre estes dois países cada país pode ter Bir Tawil ou Hala’ib, porém não ambos.

O país que ficar com Bir Tawil deverá renunciar sua pretensão de ficar com o Triângulo Hala’ib, mais grande e potencialmente lucrativo. Porém nenhum dois países querem abrir mão deste território.

Mesmo não sendo de interesse do Sudão e nem do Egito, não faltam curiosos querendo reivindicar Bir Tawil. Como exemplo, em 2014 um fazendeiro Norte Americano chamado Jeremiah Heaton prometeu reivindicar esta área e tornar sua filha princesa deste lugar inóspito e quase inabitado.

Deixe uma resposta