A história das coisas é o tema de um vídeo disponível no Youtube. Denominado inicialmente de “The Story of Stuff” e escrito por Annie Leonard foi dublado para o Português e disponibilizado de forma gratuita.

Entre os diversos temas tratados ao longo do vídeo, a história das coisas revela a ideologia por trás do consumismo e a causa das grandes diferenças sociais.

A história das coisas vista a partir da participação do governo e das corporações

A relação entre as sociedades humanas e a natureza nos últimos 70 anos sofreu intensas modificações, com o aumento da poluição, diminuição dos índices de felicidade, aumento do consumo nos países ricos, diminuição da importância dos governos e aumento do poder das grandes corporações.

O sistema onde a maioria dos países está inserido é um sistema que está em crise, basicamente pelo seu caráter linear e por transformar os recursos naturais em bens industriais de forma tão rápida e intensa que não está dando o tempo necessário para o planeta se recuperar.  

Dentro desta sociedade a importância das pessoas são classificadas pela sua capacidade de consumir e pela sua posição social.

Os governos, um dos únicos capazes de mudar a situação da desigualdade e da exploração desenfreada da natureza, ao que parece, estar unida e até submissa às grandes corporações econômicas, que nas últimas décadas aumentou em importância e poder dentro do sistema.

Utilização dos recursos naturais e problemas ambientais

Com relação a questão ambiental, durante as três últimas décadas foram retiradas 33% dos recursos naturais do planeta. Utiliza-se os recursos de uma forma tão intensa e rápida que estamos minando a capacidade do planeta de sustentar o modo de vida das pessoas.

Nos EUA, por exemplo, a degradação ambiental contribuiu para que o país tenha atualmente apenas 4% de sua floresta original e onde 40% dos cursos de água estão impróprios para serem utilizados para o consumo humano.

Para sustentar o modo de vida norte-americano e mitigar a limitação que possuem em recursos naturais vão atrás de recursos em outros países, que por vezes, são representados por corporações que expropriam os moradores locais de suas terras.

Os recursos naturais extraídos, por sua vez, são transformados em produtos industrializados, que geralmente possuem em sua composição química elementos tóxicos, que tornam os produtos retardantes ao fogo, porém são muito tóxicos para o cérebro.

Estes tóxicos ainda são utilizados em computadores, eletrodomésticos, sofás, colchões, alimentos e até em alguns travesseiros.

O alimento da cadeia alimentar com o nível mais elevado de químicos tóxicos, por exemplo, é o leito materno. Isso faz com que os bebes recebem as maiores doses de químicos tóxicos a partir do leite de suas mães.

Além disso, a degradação ambiental e política promovida pelo sistema contribui para que haja um fluxo constante de imigrantes.

Estima-se que diariamente há um fluxo constante de pessoas se deslocando de suas antigas residências para cidades, onde muitas pessoas procuram um emprego para comprar produtos, que por sua vez possuem elevada concentração de tóxicos.

A exteriorização dos custos de produção

Outro ponto a ser comentado em relação as relações entre as sociedades é a questão da exteriorização dos custos dos produtos.

Muitos países transferem suas indústrias para os países mais pobres, o que contribui para a diminuição dos preços dos produtos, pois nestes países as empresas costumam pagar um salário mais baixo aos trabalhadores.

A exteriorização dos custos contribui para entender que as vezes não pagamos pelo que realmente o produto vale. Neste caso, parte do produto foi pago pelos moradores que perderam seus espaços ou por aquele trabalhador que não recebeu um salário justo.

Manter o sistema funcionando para que pouca coisa mude é tão importante que se tornou prioridade tanto para o governo quanto para as grandes corporações, onde os recursos são extraídos e transformados, sem que os verdadeiros custos de sua produção sejam contabilizados.

A manter o sistema no atual ritmo os produtos são feitos com uma validade menor. Além disso, as pessoas são induzidas a trocarem de produto de tempos e tempos, mesmo que não haja a necessidade da troca.

O vídeo a história das coisas mostra que mudar este ciclo requer que haja menos consumo, mais reciclagem e que o governo possa realmente trabalhar para o bem estar das pessoas e do meio ambiente que nos circunda.

Clique aqui para assistir o vídeo

Escolha a opção mais adequada para citar este texto.

Blog da Geografia (21 de janeiro de 2022) A história das coisas. Retrieved from https://blogdageografia.com/a-historia-das-coisas/.
"A história das coisas." Blog da Geografia - 21 de janeiro de 2022, https://blogdageografia.com/a-historia-das-coisas/
Blog da Geografia 10 de janeiro de 2022 A história das coisas., viewed 21 de janeiro de 2022,<https://blogdageografia.com/a-historia-das-coisas/>
Blog da Geografia - A história das coisas. [Internet]. [Accessed 21 de janeiro de 2022]. Available from: https://blogdageografia.com/a-historia-das-coisas/
"A história das coisas." Blog da Geografia - Accessed 21 de janeiro de 2022. https://blogdageografia.com/a-historia-das-coisas/
"A história das coisas." Blog da Geografia [Online]. Available: https://blogdageografia.com/a-historia-das-coisas/. [Accessed: 21 de janeiro de 2022]

Deixe uma resposta